Esp/ Eng/ Port

Tibagi


O município foi criado em 1872, antes membro de Castro. Atualmente possui uma população com mais de 18 mil habitantes, em sua maioria vivendo na área urbana. Está distante 214 km da capital paranaense e sua área territorial possui em torno de 2.900 km2. Possui dois distritos administrativos: Caetano Mendes e Alto do Amparo; e um judiciário: Alto do Amparo.

Localizada na Região Centro Leste do Paraná, ficou conhecida como “Eldourado Paranaense” graças a história local de exploração garimpeira de ouro e principalmente diamente. A região iniciou a colonização justamente por este motivo, o garimpo no Rio Tibagi e daí o nome da cidade. Até hoje a cultura do garimpo, da qual muitos ainda tentam a sorte, está enraizada na vida da população tibagiense.

A região é dominada, hoje, pela atividade agrosilvopastoril, que pode combinar plantas, legumes, árvores e animais num mesmo local. Os principais produtos são a soja, o milho e a madeira em tora, utilizada na produção do papel. Tibagi possui também vastas áreas de plantação de trigo. A pecuária é embasada na criação de bovinos, equinos, galináceos, ovinos e suínos, destacando-se a pecuária de corte e leite e a suinocultura. As indústrias dominantes são as de madeira, bebidas, produtos alimentícios, papel e papelão.

O turismo local é valorizado pelo Canyon Guartelá, o sexto maior do mundo, situado entre Tibagi e o município de Castro. A região é cortada pelos rios Tibagi e Iapó. Outros pontos turísticos são a Cascata da Ponte de Pedra, a Cachoeira dos Padres, o Salto Santa Rosa, o Salto Paraíso, a Gruta Pedra Ume, o Morro do Jacaré e o Recanto da Usina Velha. O turismo de aventura é parte do ecoturismo, do qual fazem parte modalidades como o rafting, rapel, canyoning, biking e trekking.

A culinária é dominada pelas comidas de origem dos tropeiros, garimpeiros e da época das Sesmarias. Entre as especialidades locais estão a quirera com costelinha de porco, o quibebe, a paçoca de carne feita em pilão, o polvilho e a broa de milho. O artesanato local encontra força nas peças feitas à mão confeccionadas pela Associação Tibagiana de Artesanato (Atiart). Fundada em 1985, traz a tradição regional, especialmente nos bordados e nas peças de lã de carneiro, que são fonte de renda para as mulheres da Associação.

Fonte:

Portal online da Prefeitura Municipal de Tibagi

               Portal online do IBGE

               Portal online do Governo do Paraná

Atrativos Turísticos
Fazenda Boa Vista
PR 340 km 32 a 10 km do Parque Estadual do Guartelá
(42) 3232-3352 – 3232-0232
Fazenda São Damázio
PR 340, a 4 km do Parque Estadual do Guartelá
(42) 8874-7430
Itáytyba Ecoturismo
BR 153 – KM 184,4 – Estrada para Ventania
(42) 3275-2137
www.itaytyba.com.br
Sítio Sete Quedas
PR 340, a 20 km de Tibagi (próximo ao Parque Estadual do Guartelá)
(42) 8874-7430
Morro da Comuna
Localidade do Barreiro, a 12 km da sede ( Estrada sentido Salto Santa Rosa e Puxa Nervos)
(42) 9972-4867
www.fvlp.esp.br
Morro do Jacaré
Localidade do Barreiro, a 12 km da sede (Estrada sentido Salto Santa Rosa e Puxa Nervos)
(42) 3275-2522 / 9143-1254
Museu Desembargador Edmundo Mercer Junior
Praça Edmundo Mercer, 52 – Centro
Tibagi (42) 3916-2189
Parque Estadual do Guartelá
Rodovia PR 340 – KM 247 – Guartelá
0800 643 1388
www.iap.pr.gov.br/modules/ucps/aviso.php?codigo=1
Recanto Ecológico da Dora
Rodovia PR 340 – KM 42 – Guartelá
(42) 8855-5661
www.recantoecologicodadora.com.br
Recanto Marins
PR 340, Arroio das Capivaras, próximo a ponte do Rio Tibagi
(42) 3275-1367
Safari’s Farm
BR 376 (Rodovia do Café), Km 454
(42) 3227-3797
www.safarisfarm.com.br
Salto Puxa – Nervos
Localidade do Barreiro, a 18Km de Tibagi
(42) 8813-4669
www.tibagionline.com.br/puxanervos
Salto Santa Rosa
Localidade do barreiro, a 18 Km de Tibagi
(42) 8812-3827