Esp/ Eng/ Port

Ortigueira


Por volta de 1900, Adolfo Alves de Souza, Domiciano Cordeiro dos Santos e Marcílio Rodrigues de Almeida, procedentes do Distrito de Socavão, no Município de Castro/PR, instalaram-se num outeiro (morro) chamado Monjolinho, junto a uma caravana de sertanejos. Formaram ali um pequeno Povoado, em terras pertencentes ao Município de Tibagi.

Na região existia um espesso taquaral seco, em uma área de aproximadamente 300 alqueires de terra. O taquaral foi queimado pelos pioneiros e a Povoação passou a ser conhecida como Queimadas.

As terras eram férteis e exuberantes e atraíram outras pessoas à nova Povoação, entre elas Isidoro da Rocha Pinto, Manoel Teixeira Guimarães, Salvador Donato e Francisco Barbosa de Macedo, completando assim o quadro de primeiros habitantes de “Queimadas”.

Pela Lei Estadual nº 2030, de 12 de março de 1921, foi criado o Distrito Judiciário de Queimadas, no Município de Tibagi.

Ao ser elevado à categoria de Distrito Administrativo em 1943, no Município de Tibagi, Queimadas teve sua denominação alterada para Ortigueira. Isso ocorreu porque no Estado da Bahia, já havia outra localidade com o nome de Queimadas.

Em 1951, Ortigueira passou a município, com o território desmembrado de Tibagi e acrescido de parte do território do Município de Reserva.

A origem do nome Ortigueira deve-se à existência em grande quantidade, na região, de plantas conhecidas pelo nome de “Urtiga”, que têm as folhas cobertas de pêlos finos, e que, em contato com a pele, causam um ardor irritante.

Turismo

Terceiro maior município de Estado do Paraná em extensão territorial, Ortigueira é rica em belezas naturais. Seus pontos turísticos encantam tanto  a população ortigueirense quanto seus visitantes. Conheça um pouco mais sobre nossas belezas:

  • Cachoeira Véu da Noiva: situada a 18km da cidade, tem uma queda de 150 metros de altura. Com uma gruta e um lago interno a cachoeira possui uma rara beleza. As águas descem dispersas pelas rochas caracterizando um véu entre uma vegetação com espécies raras. Visitantes mais ousados escalam seus rochedos para banharem-se num peitoral que fica acima dela. A 100 metros, possui uma gruta, com um lago interno e vegetação diversificada. Nas proximidades existem três cachoeiras, uma delas com grande fluxo de água;
  • Serra Pelada: localizada no mesmo local da Cachoeira Véu da Noiva, recebeu este nome em virtude de suas montanhas rochosas;
  • Pedra Branca: a 35 km da cidade, seguindo pela BR 376 (Rodovia do Café) sentido Mauá da Serra. Uma imensa montanha que pode ser vista da cidade. Atrai visitantes que apreciam não só a beleza da montanha, como o caminho para chegar até ela;
  • Salto Dito Gardiano: uma encantadora cachoeira, situada a 15 km seguindo pela estrada do Lageado Bonito;
  • Fazenda Três Cachoeiras: localizada no Caeté Mirim, a 22km de distância da cidade, possui três lindas quedas d’água;
  • Rio Barroso: lugar tranqüilo e sereno, bastante freqüentado pela população, com uma distância de 6 km da cidade, entre outros.