Esp/ Eng/ Port

Arapoti


A história de Arapoti tem origem na Fazenda Jaguariaíva, que pertenceu ao lendário povoador desta região, coronel Luciano Carneiro Lobo. Os campos daqui, até então, eram ocupados por gado de corte e serviam como pouso para tropas vindas do sul do país. Na época, era o Distrito do Cerrado, hoje uma vila rural, que tinha a maior concentração de pessoas nessas terras que hoje formam o município. O local começou a se desenvolver de fato na década de 1910 com a instalação de uma serraria e fábrica de papel da Southern Brazil Lumber & Colonization Companye. No Cerrado tinha de tudo, comércio, escola, delegacia e posto de saúde.

Logo em seguida, em 1912, chega a essas terras o Ramal Ferroviário do Paranapanema, que atravessou a fazenda Capão Bonito e oportunizou a instalação de moradores em torno da estação ferroviária “Cachoeirinha”, hoje sede do Memorial Capão Bonito – Casa da Cultura. Isso fez com que as pessoas residentes no Distrito do Cerrado preferissem ficar mais próximos da estação por conta da comercialização dos produtos e a localidade ficou cada vez menos habitada.

Vivendo os ciclos econômicos do café e da madeira produzidos em grande escala na região do Norte Pioneiro do Paraná, começaram a chegar, em 1916, os imigrantes – inicialmente espanhóis e poloneses.

Foi aos 18 dias de dezembro de 1955 que Arapoti se emancipou. Em 1960 foi a vez da imigração holandesa chegar à região. Eles vieram em maior escala e fundaram aqui a Cooperativa Agroindustrial (Capal), atualmente integrante do grupo ABC (do complexo Batavo). A criação da cooperativa transformou o município em pólo de alta tecnologia em agricultura e pecuária com destaque para a produção de soja, milho, trigo, suínos, frangos e gado holandês leiteiro de alta linhagem.

Nos anos 80 a construção da fabricante de papel e celulose Inpacel Indústria LTDA fez surgir no município uma das mais modernas indústrias papeleiras do país. Nas mesmas instalações já passou a International Papel e atualmente, num novo complexo industrial, a gigante multinacional Stora Enso que tem como carro chefe a produção de papel revista.

TURISMO:

Possui um roteiro de turismo cultural denominado Linha Verde, onde podem ser visitados inúmeros atrativos como a antiga sede da fazenda Capão Bonito, Parque Cachoeirinha, Casa da Cultura na antiga estação ferroviária, Feira do Produtor, o Moinho Holandês e a Colônia Holandesa, onde visitas técnicas na área agropecuária podem ser agendadas em suas belíssimas fazendas.

Principais Pontos Turísticos

Chácara Casa Antiga

A sede foi construída por Telêmaco Carneiro de Mello, proprietário da Fazenda Capão Bonito e é conhecida como a primeira residência do município. » Localização: Jardim Ceres.

Casa da Cultura Estação Ferroviária

A construção de madeira, é a antiga Estação Ferroviária. Possui um acervo abrangente com pinturas, esculturas, publicações, objetos da Rede Ferroviária como Telégrafo, Faróis da Maria Fumaça, entre outros. Localização: Praça José Eduardo Andrade Vieira, s/nº. Horários de visitas: de segunda à sexta das 8:00 h às 11:30 h e das 13:30 às 17:00 h.

Moinho Holandês “O imigrante”

Moinho de ArapotiConstruído em 2001 em homenagem à Colônia Holandesa, por tratar-se de um dos ícones mais conhecidos dos Países Baixos. Localização: Parque de Exposições CAPAL. Horários de visitas: de terça à domingo das 11:00 h às 14:30 h.

Estação Ferroviária

C. E. F. São Paulo-Rio Grande (1915-1942)
Rede de Viação Paraná-Santa Catarina (1942-1975)
RFFSA (1975-1996)
ARAPOTI (antiga CACHOEIRINHA)
Município de Arapoti, PR
Ramal do Paranapanema – km 28,000 (1935)    PR-0773
Inauguração: 18.07.1915
Uso atual: Casa da Cultura   com trilhos
Data de construção do prédio atual: n/d

Fonte: Prefeitura de Arapoti (http://www.arapoti.pr.gov.br/)